5 dicas para fotografia de paisagem

Tempo de leitura: 7 minutos

Fotografias de paisagem são, por definição, imagens que registram os ambientes, suas peculiaridades e particularidades. Podem ser ambientes naturais, como florestas, praias, campos e montanhas, ou ambientes urbanos, como grandes metrópoles ou pequenas cidades.

É também, para muitos de nós, o ponto de partida do gosto pela fotografia: começamos tirando fotos do belo pôr do sol da janela das nossas casas; do horizonte impressionante da praia em que estamos passando nossas férias; do tranquilo e bonito campo onde moram parentes ou amigos. E, antes mesmo que a gente possa perceber, já estamos mais do que envolvidos com a prática.

Para ter mais domínio e excelência sobre esse tipo de fotografia, existem algumas coisas que precisamos pensar, como em ter equipamentos mais adequados, adquirir acessórios indispensáveis e aprender algumas técnicas e truques que trazem mais profissionalismo e beleza à foto.

Se você está começando na fotografia de paisagem ou deseja melhorar a sua técnica, seja para se especializar nesse campo ou agregar valor ao seu trabalho em outros segmentos, como na fotografia de casamento, gestantes e família, por exemplo, você veio ao lugar certo!

Neste post vamos dar 6 dicas para fotografia de paisagem para você começar com o pé direito e evitar cometer alguns erros comuns de fotógrafos iniciantes. Vamos às dicas!

1. Tenha equipamentos adequados

Não vou dizer aqui que existem equipamentos errados para a fotografia de paisagem. Cabe a cada um, com seu olhar e percepção particulares, saber extrair o melhor da cena com o equipamento que possui e com a técnica que domina.

Porém, posso dizer, com toda a certeza, que existem equipamentos mais adequados que vão lhe proporcionar mais liberdade para experimentar e mais respiro para enquadrar a sua cena.

Lente grande angular

As lentes grande angulares, como a 18mm ou 24mm, por exemplo, são lentes que, por sua anatomia, têm campos de visão maiores. Isso significa que, com elas, você vai conseguir enquadrar facilmente toda a sua cena.

Lentes como a 35mm ou 50mm são melhores para retratos, pois elas são lentes mais “fechadas”. Além disso, as distorções causadas pelas grande angulares provocam um efeito muito interessante.

Tripé e cabo disparador

Ao fotografar paisagens, na maior parte das vezes, você vai querer ter nitidez em todos os pontos da sua fotografia. Se a sua cena tem, por exemplo, as ondas do mar batendo na areia de uma praia ao pôr do sol, você vai querer ver com toda a nitidez e detalhes possíveis desde os grãos de areia, em um primeiro plano, até a linha do horizonte e o sol, em um plano mais distante.

Conseguir esse efeito implica o uso de aberturas maiores, para evitar que um desses planos fiquem desfocados. Ademais, em fotos de paisagem feitas durante o dia, o seu ISO vai ter de ser mais baixo, para evitar a superexposição das imagens. Se juntarmos aberturas pequenas com um ISO baixo, o que temos como resultado é pouca luz entrando na câmera.

Para acertar a exposição da foto, então, temos de usar velocidades maiores. É aí que o tripé e o disparador entram: são eles os super-heróis que vão impedir que a sua foto saia tremida!

Filtros para lentes

Imagine que você está fotografando em uma fazenda em um dia de outono. A sua cena é essa: um vasto campo verde, cheio de árvores com folhas amarelas e alaranjadas, com uma casa vermelho vivo ao canto. Um céu bem azul, cheio de nuvens brancas, e um sol brilhante.

Em um caso como esse, existe uma mistura de muitos elementos, cores e texturas na cena, e a sua câmera tem muita informação para processar. Isso pode causar um desequilíbrio que vai afetar as cores e a iluminação e prejudicar a qualidade final da sua imagem.

O uso de filtros nas lentes pode ser uma mão na roda para ajudar a resolver o problema. Existem vários tipos de filtros, cada um com uma finalidade diferente. Alguns exemplos são o filtro UV (protege a lente da incidência dos raios solares); filtro polarizador (aumenta contraste, realça cores e reduz reflexo); e o filtro de densidade neutra (reduz a absorção da luz antes de passar pela lente, sem afetar as cores).

2. Escolha bem o horário

A iluminação do dia provoca efeitos diferentes em horários diferentes. Os momentos que sucedem o nascer e antecedem o pôr do sol (golden hour) são conhecidos por sua iluminação única e encantadora, suas cores incríveis e sua grande variedade de tons. Já a posição do sol por volta do meio dia tem como característica uma incidência de luz muito forte e sombras mais duras, menos lisonjeiras.

É importante saber qual o efeito que você quer e escolher qual o melhor horário a partir disso: se quer um ar fantasioso e sutil, é interessante fotografar nos primeiros ou últimos momentos do sol no dia. Mas, se o seu objetivo é retratar as altas temperaturas e a aridez de um lugar, por exemplo, o meio do dia é uma ótima escolha.

Em aplicativos de previsão do tempo é possível ver os horários exatos em que o sol nasce e se põe no lugar onde você está.

3. Busque movimento

Aqui vai uma das mais importantes dicas para fotografia de paisagem: não é porque você vai fotografar paisagens que elas precisam ser estáticas, passar a ideia de completa falta de movimento ou até de tédio.

Busque elementos e maneiras que ajudem a criar dinamismo na imagem — usar longa exposição ao fotografar uma cachoeira ou mar, por exemplo, é uma forma de trazer vida para a sua foto por meio do registro do movimento da água.

4. Não deixe a composição de lado

Você provavelmente escolheu um lugar muito bonito para fazer os seus cliques, e isso já aumenta muito as chances de você fazer fotos lindas — mas isso, por si só, não é garantia de que você vá produzir imagens incríveis.

Componha a sua cena! Busque padrões e texturas, procure linhas diagonais que direcionem o olhar para o seu motivo principal, coloque em prática a regra dos terços. É aqui que todas as horas de estudo sobre composição vão lhe dar a base para produzir uma imagem realmente impactante.

Uma dica bacana aqui é tentar colocar um objeto no primeiro plano do seu enquadramento. Uma simples pedra ou folha neste ponto pode trazer profundidade e melhorar muito a harmonia e a mise-en-scène da sua composição.

5. Ouse

Pratique, teste, busque lugares inusitados, retrate lugares comuns de formas inesperadas. As melhores amigas de um fotógrafo de paisagem são a sua curiosidade, disposição e vontade de evoluir.

Faça fotos durante a noite, na chuva (desde que seu equipamento esteja seguro, claro!), descubra como fotografar contra a luz. O importante é estar sempre em busca de lugares e técnicas novos.

Um erro muito comum (e muito grave!) dos iniciantes da fotografia de paisagem é deixar o horizonte torto. Isso causa uma sensação esquisita para quem vê a foto — mesmo que a gente não saiba exatamente o que nos incomoda, sabemos que há algo de errado. Além disso, uma fotografia com o horizonte torto, quando ele não é intencional, é um atestado de amadorismo.

É possível fazer esse ajuste posteriormente em algum programa de edição de imagem, mas é sempre melhor tentar acertar na hora e economizar tempo na pós-produção.

Estas dicas para fotografia de paisagem podem ser aplicadas também nos cenários de ensaios — nesse caso, procure fazer com que a interação entre as pessoas e o ambiente aconteça. Considere a paisagem para melhor compor e agregar valor à sua cena, em vez de usá-la simplesmente como mero fundo.

Curtiu nossas dicas? Para continuar recebendo mais conteúdos incríveis como este, siga a gente no Facebook e Instagram e fique por dentro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *