Como preparar um workshop de fotografia?

Tempo de leitura: 7 minutos

Como todo bom profissional, a gente que vive de fotografia está sempre procurando maneiras de fazer o negócio decolar. Às vezes, porém, faltam ideias. Sendo assim, aqui vai uma que talvez você possa colocar em prática: que tal promover um workshop de fotografia?

Se a sugestão lhe pareceu estranha, devo dizer que você não está sozinho. Afinal, nem sempre nos damos conta do valor comercial daquilo que, com esforço, aprendemos. Mas observe só a quantidade de oficinas e seminários de fotografia realizados anualmente no país.

Nas redes sociais, então, o que mais se vê são colegas oferecendo dicas e demonstrando técnicas. Isso acontece porque essa é uma maneira muito eficiente de dar visibilidade ao trabalho, conquistar mais seguidores e potenciais clientes. Ou seja, é uma poderosa ferramenta de marketing.

Sobretudo, workshops podem render uma grana extra. Com o planejamento correto e uma boa divulgação, é possível iniciar um novo filão dentro do seu segmento, fazendo com que seu trabalho ganhe ainda mais destaque.

Sendo assim, aqui vão algumas dicas para você preparar um workshop de fotografia campeão. Acompanhe!

Tudo começa por um bom tema

A primeira preocupação de quem pretende lançar um workshop de fotografia (ou de qualquer outra especialidade, na verdade) é definir o tema. Essa escolha depende de dois fatores importantes: o seu domínio sobre o assunto e a relevância, o interesse das pessoas sobre o tema que você pretende abordar.

Nesse caso, é interessante buscar uma temática que seja a tendência do momento. Pode ser um estilo de fotografia que esteja em alta ou uma técnica que o pessoal adotou como a onda do momento.

Um tempo atrás, choviam workshops de fotografia newborn, pois era o segmento que mais crescia no país. Atualmente, têm muito apelo as oficinas de fotografia social (casamento, família, ensaios de gestante, debutantes etc.).

Dentro de cada tipo de fotografia existem técnicas que podem ser exploradas: o uso da iluminação flash com luz natural, edição dos ensaios, formas criativas de fotografar os noivos, e por aí vai.

Não se pode esquecer os cursos básicos para quem está começando a se interessar por fotografia profissional. Sempre tem gente nova querendo aprender mais sobre esse apaixonante universo.

Definido o tema, é hora de começar o planejamento

Essa segunda etapa é tão decisiva quanto a primeira e envolve algumas questões fundamentais: a definição do público-alvo, a estratégia de divulgação e a escolha do local para a realização da atividade. Também é o momento de sondar a concorrência e saber se o que você propõe ensinar já está sendo oferecido e o que pode ser feito para tornar o seu produto mais atrativo.

Com relação ao público-alvo, ainda que você já tenha um recorte predefinido (gente interessada em fotografia), convém detalhar um pouco melhor as características da clientela que pretende atingir. Ou seja, a faixa etária, o nível de conhecimento sobre o assunto (amadores ou usuários avançados de câmeras) e o poder aquisitivo (condição que vai impactar no valor que deverá ser cobrado).

Essa última informação também tem peso na escolha do local adequado. Quanto mais especializado o público, maiores as exigências com relação à estrutura necessária para a realização do workshop.

De todo modo, é preciso escolher um lugar de fácil acesso, com espaço suficiente para abrigar o número de pessoas que você espera reunir e em condições de permitir o uso adequado dos equipamentos.

Dependendo da necessidade, o aluguel de um estúdio pode ser cogitado. Ou você pode tentar uma parceria com algum colega estabelecido. Aliás, arranjar parceiros para viabilizar o evento (fabricantes, fornecedores, instituições de ensino etc.) é uma boa estratégia.

Caso a disponibilidade de um fundo infinito não seja essencial, outros locais podem ser utilizados, como espaços de co-working, anfiteatros, centros de eventos, salas de aula ou até um salão de restaurante. Tudo depende da sua necessidade.

Use uma plataforma online para gerenciar os detalhes

Assim que seu workshop de fotografia estiver delineado, com data, horário e local definidos, é preciso fazer com que as pessoas saibam que ele existe. Em outras palavras, é o momento de criar uma identidade visual para o evento e colocar a proposta na rua.

Nessas horas, o melhor a fazer é aderir a uma plataforma online de organização de workshops. Esse tipo de serviço permite que você crie um site para o evento, envie convites por e-mail, crie promoções, gerencie o pagamento das inscrições e o fluxo de caixa. É uma verdadeira mão na roda.

Dê uma busca no Google e veja qual opção melhor se encaixa no seu objetivo. É possível, por outro lado, contratar uma empresa especializada em gerir esse tipo de atividade, caso você precise de maior apoio.

Mas, ainda que uma plataforma online deixe tudo mais simples, tem muito mais coisa a ser feita no quesito divulgação. Por isso, não deixe de usar suas mídias sociais para fazer o evento chegar a mais gente. Facebook, Twitter, Google+ e uma série de outros sites têm um poder de alcance fabuloso. Não deixe de aproveitá-lo.

Dependendo do seu público-alvo, algumas peças de publicidade impressa podem ser úteis, como flyers e cartazes. Se for o caso, não deixe de produzir algumas (quem sabe, por meio de parceria com algum colaborador) e divulgar em lugares onde sua clientela pode ser encontrada.

Outra estratégia interessante é divulgar a atividade em jornais de circulação local, blogs e sites de notícias. Além de dar credibilidade ao seu workshop, essa forma de divulgação tem a vantagem de ser gratuita.

Na hora H, confira se tudo está OK. Então, confira de novo

Cumpridas as etapas anteriores, é hora de acertar os últimos detalhes: preparar o material que será entregue aos alunos, verificar os equipamentos necessários para a realização da aula e os itens para o coffee break.

Coffee break? Claro, pois é importante que o pessoal tenha uma pausa para esticar as pernas e fazer uma boquinha. Novamente, tente viabilizar uma parceria para diluir esse custo e disponibilizar uma boa mesa de café para o público.

Quanto ao material didático, além de apostilas com o conteúdo que será ministrado, é preciso garantir que haja canetas para todo mundo.

Como você pode ver, são muitas miudezas. Por isso, anote tudo o que é preciso fazer. Inclusive, tenha uma lista com os equipamentos de apoio (notebook, projetor, microfone, caixas de som). E não deixe de testar tudo mais de uma vez. É muito comum a gente achar que está tudo no ponto e, na hora H, alguma coisa dar problema.

Faça backup dos arquivos, leve mais de uma mídia. Veja se as condições de iluminação do local estão adequadas. Verifique se o ar-condicionado funciona. Tudo tem que ser devidamente checado.

Uma vez realizado o workshop com sucesso, não esqueça de distribuir os certificados (podem ser digitais) e de colher as impressões do público. Essa informação — junto com o mailing construído no primeiro evento — será fundamental para aprimorar a próxima edição.

Falando nisso, não deixe de se colocar no lugar dos alunos. Antes mesmo de começar o seu, participe de workshops para entender como esse tipo de atividade funciona, qual é o nível de comunicação dos colegas e quais dúvidas o pessoal costuma ter.

Depois, é só aplicar o aprendizado no seu próprio workshop de fotografia e dar o seu melhor. Com o passar das edições, o seu curso só tende a evoluir, acredite!

Gostou deste artigo e quer continuar lendo a respeito? Que tal ler o nosso post sobre fotografia de retrato? Quem sabe, não é esse o tema que você está procurando?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *