Conheça 5 incríveis livros para fotógrafos

Tempo de leitura: 4 minutos

Desde que foi inventada, a fotografia tem sido uma das formas de expressão mais valorizadas enquanto arte e meio de comunicação. Livros para fotógrafos são verdadeiras obras de arte produzidas para os mais variados fins: sociais, jornalísticos, artísticos, biográficos e outras vertentes.

Profissionais que estão sempre buscando aprofundamento e novas descobertas no universo fotográfico podem encontrar inspiração e informação nos livros escritos e ricamente ilustrados sobre o tema.

A seguir, separamos 5 títulos memoráveis que você deve ler para absorver dicas e pontos de vista diferentes, acrescentando muito mais ao seu próprio repertório. Confira!

Sugestões especiais de livros para fotógrafos

1. A ilusão espetacular

A obra é considerada um clássico sobre fotografia. Foi escrita por Arlindo Machado, lançada em 1983 e reeditada em 2015. Ela se tornou referência obrigatória para pesquisadores e fotógrafos.

No livro, o autor desmistifica a crença na objetividade da fotografia e sua fidelidade ao mundo real. Faz essa reflexão demonstrando a existência de uma distância entre a realidade vista pelo olho e as imagens capturadas pela câmera.

Sua intenção é expor os labirintos da fotografia — que tenta se manter isenta de significados ideológicos específicos — por meio de uma análise de fotos que foram bem-sucedidas ao conseguirem se desprender dessas armadilhas, conquistando o mecanismo conhecido como “efeito espetacular”.

2. Outras Américas

O livro é resultado de um trabalho iniciado em 1977, que levou 7 anos para ser concluído e retrata os povos indígenas da América Latina. O autor brasileiro Sebastião Salgado percorreu todo o litoral nordestino do Brasil e chegou às montanhas do Chile, Bolívia, Peru, Equador, Guatemala e México.

A excelência visual das fotos de Sebastião Salgado nos presenteia com o talento e a beleza do seu trabalho como fotógrafo. Ao mesmo tempo, denuncia um mundo de povos marginalizados por suas nações, que os deixaram esquecidos.

3. Para entender uma fotografia

Escrito por John Berger e organizado por Geoff Dyer, é uma obra que se propõe à análise das obras de nomes como: Sebastião Salgado, André Kertész e Cartier-Bresson. Para tanto, usa recursos de literatura, psicanálise, filosofia e metafísica.

Berger reflete ainda sobre o lugar da fotografia no universo das belas-artes, faz críticas da obra de Sontag e enfrenta a controvérsia em torno da veiculação de imagens de violência.

Enquanto se dedica à introdução, Geoff Dyer explica que Berger extrai histórias das fotografias que analisa, tanto as que são reveladas quanto as ocultas. Assim, o papel de crítico sede lugar à vocação para contar histórias.

4. Workers

Nesse trabalho, Sebastião Salgado confere um tributo à condição humana ao retratar com primor os refugiados massacrados pela fome no Sahel. Em Workers, ele faz uma exploração arqueológica de atividades que demarcaram a evolução do trabalho desde a idade da pedra, passando pela revolução industrial até hoje.

O livro foi dividido em 6 categorias — Agricultura, Comida, Mineração, Indústria, Petróleo e Construção — e traz à tona a incessante atividade exercida por mãos humanas, reveladas por ricas imagens complementadas pelas legendas estendidas, que fornecem toda a estrutura histórica para as fotos.

Vale dizer que, em reconhecimento ao seu trabalho único, Sebastião Salgado recebeu quase todos os principais prêmios de fotografia.

5. África

Nesse título, Sebastião Salgado reúne uma coletânea de fotos produzidas durante suas viagens à África. Em 1971, ele foi a Ruanda pela primeira vez e retornou em 1991, já com fama internacional. Nessa ocasião, fotografou plantações de chá — parte de um projeto comunitário.

No ano de 1995, retratou a destruição desses campos e os horrores do genocídio que dizimou mais de 800 mil pessoas. Em 2004, registrou imagens de vulcões e gorilas.

Aproximadamente 300 fotos como essas, produzidas ao longo de 30 anos, integram o livro “África”, cujo prefácio foi escrito por Mia Couto, renomado romancista moçambicano. Nele, Couto aponta como a África atual reflete os efeitos nefastos da colonização, bem como as consequências das crises econômicas, ambientais e sociais.

Os livros para fotógrafos integram uma infinidade de assuntos, com imagens encantadoras e eloquentes capazes de contar histórias por si mesmas. Para absorver tanta informação, é pertinente elaborar um cronograma de leitura e enriquecer o seu repertório de ideias.

Se você gosta de buscar inspiração e aprendizado constantemente, aprofunde o seu conhecimento com dicas relevantes para o seu portfólio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *