Fotografar a lua: 7 dicas para fazer fotos incríveis

Tempo de leitura: 6 minutos

Tenho certeza que, ao menos uma vez, você já tentou fotografar a lua. Nosso satélite natural é um dos objetos mais cobiçados por nós, fotógrafos em busca de composições incríveis. Mas registrá-lo nem sempre é tão fácil quanto gostaríamos.

Se você também já quis capturar esse espetáculo da natureza, mas não conseguiu, não se preocupe. No artigo de hoje, separamos algumas dicas que deixarão tudo mais fácil. Continue a leitura e confira!

1. Descubra em qual fase a lua está e escolha o local ideal para fotografar

Antes de sair para fazer seus cliques, é necessário saber em que fase a lua está. Por quê? Imagine atravessar a cidade para encontrar o melhor lugar, montar o seu equipamento, configurar sua câmera e, algumas horas mais tarde, notar que é noite de lua nova, kkkkkk — período em que ela mal pode ser vista no céu.

Embora seja possível fotografá-la durante suas outras fases, recomendo que, ao menos no início, experimente tentar durante a lua cheia, já que é seu momento de maior visibilidade. Para saber a data exata, consulte um calendário lunar. 😉

É preferível trabalhar em partes remotas da cidade, longe de poluições luminosas capazes de influenciar negativamente suas fotografias. Procure por ambientes escuros e espaçosos, que permitam enxergar o céu limpo, com nitidez.

2. Prepare o seu equipamento

Opte por uma câmera DSLR ou uma compacta com bom zoom óptico (nesse último caso, na hora das fotos, use a distância focal máxima que sua lente “zoom” permitir). Além disso, prefira usar alguma lente teleobjetiva com, pelo menos, 200 milímetros. Assim, você “aproximará” a lua, podendo visualizar seus detalhes — crateras, sombras, textura etc.

Utilize um tripé! Mesmo que as câmeras atuais tenham estabilizadores, dificilmente são suficientes para manter a estabilidade ao capturar a lua. Se quiser evitar imagens borradas ou tremidas, não ignore esse acessório.

Se possível, use um disparador remoto. Isso porque ele ajuda a manter sua foto ainda mais estável, evitando o contato na hora do clique. Se você não dispor de um, não se desespere! O temporizador (timer) da sua câmera também pode desempenhar a mesma função.

3. Configure a sua câmera

Considerando a quantidade de luz emitida pela lua, é importante escolher algumas configurações específicas:

Tempo de exposição

O tempo de exposição diz respeito à velocidade do obturador. Um erro muito comum ao tirar fotos da lua é acreditar que, por estar em um ambiente de pouca luz e utilizando um tripé, é necessário diminuir muito a velocidade. No entanto, mesmo que não enxerguemos a olho nu, a lua se move muito (e rápido!). É por esse motivo que velocidades muito baixas tendem a resultar em fotos borradas.

Além do mais, nosso satélite natural reflete muito brilho, ou seja, você precisa captar menos luminosidade do que imagina. Sendo assim, configure seu disparos em velocidades altas. Comece com 1/125 ou mais, sempre buscando o equilíbrio entre os 3 elementos de luz da câmera: ISO, abertura e velocidade.

Abertura do diafragma

O diafragma é a parte da lente que limita o feixe de luz que entra na sua câmera. Ele é medido em números “F:” (quanto menor for o valor “F:”, mais luz entrará através da lente, e quanto maior, menos luz entrará). Para obter boas imagens da superfície lunar, aconselho que você use aberturas médias, entre F5.6 e F11. Isso porque essas aberturas médias tendem a dar mais nitidez para nossas fotos.

Sensibilidade (ISO)

Um ISO alto significa mais luz sendo captada eletronicamente por sua câmera. Esse recurso é bacana, mas tende a criar ruídos nas fotos e reduzir a nitidez. Portanto, escolha o ISO mais baixo possível, entre 100 e 200 deve bastar. Não esqueça de verificar se a opção “Auto ISO” está desativada.

Em suma, os ajustes que você precisará no momento de fotografar são: um tempo de exposição baixo, um diafragma médio e um ISO mínimo.

4. Prefira o foco manual

Desista de tentar focar a lua no modo automático. Neste tipo de fotografia, o sistema de foco da maioria das câmeras têm certa dificuldade em encontrar um bom ponto de referência no qual focar.

Use a lente no modo manual e defina o seu foco para infinito — método de aproximação usado ao fotografar objetos ou assuntos muito distantes.

5. Cuide dos modos de medição

Você provavelmente já tirou uma foto da lua e a viu se tornar uma manchinha branca em meio à escuridão. Isso acontece quando você utiliza o modo de medição automático que vem na sua câmera.

Lembre-se que a lua, quando fotografada, costuma ser apenas uma bolinha bem brilhante em um fundo bem escuro. Isso confunde totalmente o fotômetro, por isso ignore ele. Para ter melhores resultados, coloque a medição em Pontual/Spot.

Esse modo possibilita realizar uma leitura precisa de determinado ponto da imagem (a lua) e evita a sobrexposição. Faça vários testes até que os detalhes da superfície da lua estejam visíveis.

6. Ative o bloqueio de espelho

Ao pressionar o botão para tirar uma fotografia, dentro da câmera é ativado um mecanismo que consiste no movimento de um espelho que sobe, enquanto cortinas se abrem e fecham. Em seguida, o espelho desce e retorna ao seu lugar de origem.

Entretanto, essa simples ação pode comprometer suas imagens, mesmo contando com um tripé ou com um disparador remoto, como recomendei. Por isso, é preferível ativar o bloqueio de espelho, no menu da sua câmera. Se tiver essa opção, use-a.

7. Fotografe em RAW

Se estiver utilizando uma DSLR, certifique-se de que ela está fotografando em RAW em vez de JPEG. O formato RAW permite que você tenha mais controle durante a edição, onde é possível melhorar a aparência da sua foto, manipulando, por exemplo, o brilho e o contraste, ou cortando a imagem para conseguir um enquadramento mais apropriado.

É provável que, no início, você só queira tirar uma boa fotografia da lua e guardar de recordação no seu arquivo pessoal. Mas garanto que ao adquirir prática, você perceberá como ela pode ser um elemento a mais nos seus ensaios.

Se quiser algumas ideias de cenários sobre como fotografar a lua nas suas sessões, recomendo que confira mais um de nossos posts. Conheça 4 cenários fáceis e simples para montar um ensaio profissional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *