Planejamento financeiro para fotógrafo – Faça sua empresa prosperar

Tempo de leitura: 4 minutos

Planejamento financeiro para fotógrafo

Planejamento financeiro para fotógrafo é uma das coisas em que menos se fala no meio da fotografia. Nós, fotógrafos, nos dividimos como artistas e empresários. Seria muito bom se só precisássemos clicar e os clientes caíssem do céu sem a gente precisar se preocupar com contas, projetos e planejamentos. Se a fotografia é negócio para você e é muito mais que um hobbie, fica aqui com a gente que temos umas dicas valiosas para você ter um negócio de sucesso!

Dica primordial

Para começo de história, o dinheiro da empresa não é seu. 😲

O que acontece, muitas vezes, com fotógrafos é realizar uma venda e achar que todo o dinheiro recebido é seu e utilizar tudo para gastos pessoais, como trocar de celular ou fazer uma viagem. Porém, o dinheiro do contrato de algum evento; por exemplo, de um casamento; é o dinheiro para o evento do casamento e de todos os custos necessários para que esse trabalho se desenvolva com êxito.

Sempre que você vender um trabalho, os custos para o produto precisam ser pagos. Lembre-se de avaliar bem tudo o que será necessário, ok?!

Para facilitar o entendimento, basta pensar assim: dinheiro que entra de um contrato -> é dinheiro do contrato -> o contrato é da empresa.

Uma nova forma de gerenciar

1º aplicação

Separe o necessário para pagar os produtos do contrato. Tomando o exemplo do casamento, analise os custos necessários para segundo câmera, diagramação do álbum e o próprio custo da impressão. E não esqueça do que for preciso para a execução do evento – locomoção, estacionamento e etc.

É de grande importância que você comece a guardar esses valores desde o começo em alguma aplicação bancária para que ele possa render, além do mais, estará exatamente do jeito que você precisa na hora que os boletos dos custos chegarem.

2º aplicação

Depois de separar os valores dos produtos, você precisa pensar na manutenção da sua empresa, principalmente naquelas situações que são emergenciais. Sem reservas, não tem como dar algum jeito quando tem acidente com equipamento ou quando alguém adoece. Sempre guarde um pouco numa reserva de emergência até que essa reserva esteja num padrão considerável para a situação da sua empresa.

3º aplicação

A fase 3 do jogo é o capital de giro (aquele dinheiro necessário para manter o cotidiano da sua empresa no período de um mês). Para isso é necessário ter organizado os gastos – o mais simplório que eles sejam é de suma importância ter tudo anotado – conta de água, energia, aluguel, etc.

4º aplicação

(Anime-se, está chegando perto do seu salário o///). Essa é a hora de pensar no crescimento do seu negócio, nos próximos investimentos – trocar de câmera, comprar alguma lente, reformar alguma parede do estúdio, etc. Enfim, o que você estiver planejando para crescer. Afinal, que tipo de fotógrafo não está sempre olhando os lançamentos de câmera?! Haha

5º aplicação

Agora sim é o seu momento! Depois de deixar tudo guardado para os produtos, emergência, capital de giro e futuros investimentos, o que resta poderá ser seu lucro.  O ideal é você, amigo, ter um salário fixo. A empresa não existe para pagar os luxos do fotógrafo, o próprio fotógrafo precisa arcar com as suas despesas. Depois de tudo isso, o que sobra é o lucro operacional. Já está pensando em gastar ele? O melhor é guardar! Também aplique-o no banco e deixe render numa média semestral ou anual (tudo de acordo com o planejamento da sua empresa). Desse modo, caso apareça uma grande oportunidade, você terá como investir e fazer seu negócio disparar lucrando ainda mais. Caso apareça nada no período previste, use para o que desejar. Seja lá viajar, comprar um iphone x ou fazer algum investimento.

Na prática:

Agora, vamos imaginar que você fechou um contrato de casamento de R$ 5.000,00 parcelado em 5x, você vai fazer o quê?

Planejamento:

1º aplicação – custos do produto

Álbum + segundo fotógrafo + transporte + alimentação = R$ 1.000,00

(primeira parcela recebida)

2º aplicação – emergências

R$ 500,00 (a cada contrato fechado)

(metade da segunda parcela)

3º aplicação – capital de giro

Contas mensais da empresa = aluguel + água + energia + lanches + segurança = R$ 1.500,00

4º aplicação – investimentos

R$ 500,00 (a cada contrato fechado)

5º aplicação – salário + lucro operacional

Salário – R$ 1.000,00

Lucro operacional – R$ 500,00

Caso você queira avançar nesse tema, o fotologia disponibiliza uma planilha de Fluxo de Caixa para fotógrafos, onde você poderá lançar todas as suas contas e ter uma previsão futura. Clique aqui para baixar

_______________________

Isso é apenas o esboço da logística, é de suma importância que o seu planejamento acompanhe tudo o que será necessário para o que o contrato garante. Lembre-se de separar o seu dinheiro da empresa :D. Quer saber mais? Veja esse vídeo!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *