Por que trabalhar com fotos em RAW?

Tempo de leitura: 3 minutos

Quem trabalha com fotografia ou é apaixonado pela área certamente já ouviu falar do formato RAW. Com sua popularidade entre profissionais do meio crescendo nos últimos tempos, esse tipo de arquivo ainda gera dúvidas sobre sua funcionalidade e utilização. Mas, por conta da qualidade imbatível, é a melhor opção para seus trabalhos.

Saiba o que é este formato e por que você deve começar a tirar fotos em RAW agora mesmo!

O que é o RAW?

O nome RAW (“cru”, em inglês) é dado aos arquivos de fotos que não passam pelo processamento interno da câmera fotográfica — isto é, que não são compactados e convertidos internamente para formatos de imagem como JPEG. De forma simples, esse arquivo contém todos os dados captados pelo sensor de sua câmera, sem perda de informações.

Esse formato de imagem é criado de forma exclusiva por cada fabricante para seus modelos de câmera, por isso não é compatível com qualquer programa de visualização, exigindo softwares específicos como o Adobe Lightroom para abri-lo.

É bom lembrar que os arquivos RAW não possuem uma única extensão, pois ela varia de acordo com o fabricante: a Canon usa as extensões “.crw” e “.cr2”, enquanto a Nikon usa os formatos “.nef” ou “.nrw”.

Por que tirar fotos em RAW?

Existem várias vantagens de trabalhar com os arquivos não processados de foto, especialmente para fotógrafos profissionais. Veja algumas delas:

Imagem sem perda de informações

Como dito, as imagens em JPEG não são o retrato fiel do que o sensor captou, mas sim uma versão comprimida e compactada, com grande descarte de dados, mesmo nas configurações de qualidade alta.

Com o RAW, isso não é um problema: você recebe tudo o que foi captado, facilitando a criação de fotografias com grande nível de detalhe.

Infinitas opções de manipulação

Com os arquivos RAW, toda a edição da foto está nas suas mãos. Basta um software como o Photoshop ou Lightroom para que você possa manipular qualquer aspecto da fotografia, como o balanço de brancos, equilíbrio de cores, o contraste e a luminosidade, abrindo espaço para edições criativas e esteticamente atraentes, sem destruir nada do arquivo original, pois todas as manipulações feitas em um arquivo RAW podem ser revertidas a qualquer tempo.

As edições feitas em arquivos RAW são chamadas de “não destrutivas”, pois não mexem nos pixels da foto. Elas são como máscaras, feitas em cima do arquivo original, que depois são exportadas para formatos comuns de impressão, como JPEG e TIFF.

A melhor saída para a impressão

Para a visualização em tela, não é necessário que as imagens possuam muita resolução — 72dpi já bastam. No entanto, impressões, especialmente as de grandes mídias, precisam de arquivos com altíssima resolução e a menor perda de qualidade possível.

Com as fotos RAW, fica mais fácil controlar esse aspecto, editando a imagem sem perda de dados e exportando-a posteriormente para formatos de impressão como o TIFF, que comprime bem menos que o JPEG.

Neste post falei um pouco sobre o que é o RAW e sobre algumas vantagens de usar esse formato, especialmente para fotógrafos profissionais ou grandes entusiastas.

Qualidade, liberdade de manipulação e melhor resultado na impressão são apenas alguns dos benefícios que tirar fotos em RAW pode trazer para seu trabalho. Aproveite e comece a experimentar agora mesmo!

Gostou do texto? Ficou inspirado a mudar sua forma de tirar fotos? Então deixe seu e-mail na caixa à direita do blog, e receba novos conteúdos sobre fotografia em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *