Storytelling e fotografia: como contar histórias em um álbum de casamento?

Tempo de leitura: 6 minutos

Mesmo que vivamos na era da tecnologia e das fotos digitais, precisamos assumir: nada se compara a segurar um lindo álbum de fotos em nossas mãos — principalmente se este for o do seu casamento! Porém, muitos fotógrafos ainda se sentem perdidos na hora de montar álbuns. Pra melhorar isso, algo que pode ser de grande ajuda é unir storytelling e fotografia em seu álbum.

Agora você talvez possa estar se perguntando: “Tá, mas o que é esse tal storytelling e o que ele tem a ver com fotografia e com os álbuns de casamento dos meus clientes?” Bom, senta aí que a gente vai te explicar isso direitinho e ainda te dar 4 dicas de como unir storytelling e fotos na montagem dos seus álbuns!

O que é storytelling?

A palavra storytelling vem do inglês e, se formos traduzir ao pé da letra, seu significado seria algo como “contar histórias”. Alguns dicionários da língua inglesa ainda definem essa palavra como “a arte ou o poder de contar histórias”.

noiva rezando com reflexo do pai no vidro do carro

Não é de se admirar que storytelling seja definido como uma “arte” ou “poder”. Digo isso porque storytelling não se trata apenas de contar uma história e sim de saber como contar uma história. É uma narrativa onde você sabe como organizar ideias para alcançar o íntimo do receptor da mensagem, gerando emoção.

Como storytelling e fotografia se relacionam?

Em resumo, uma fotografia pode ser só uma bonita imagem, ou contar uma história de verdade. Entenda que todas as imagens podem ser interpretadas e contar alguma coisa, mas contar histórias completas é outra coisa. Contar histórias completas é organizar os pedaços de história que cada imagem conta e montar uma narrativa completa, coerente e atraente. Pegou?

É possível utilizar storytelling em uma única fotografia, mas isso nem sempre é simples e na maioria dos casos não consegue contar uma narrativa completa e detalhada, como a de um casamento, por exemplo. Por isso os álbuns são tão atraentes e importantes, pois quando são bem montados, eles contam a história toda, de uma forma gostosa de se ver e muito valiosa. Mas como fazer isso de forma prática?

Como aplicar storytelling em álbuns de casamento

Existem vários macetes que você pode utilizar para montar uma boa história em uma narrativa atrativa e coerente, mas todos passam por decisões que o editor vai tomar na diagramação do álbum. Tudo começa por ter consciência do que se quer fazer. Pra ajudar você a tomar decisões melhores no planejamento do storytelling dos seus álbuns, seguem abaixo 4 dicas que você pode começar a praticar hoje:

1 – Conheça seus clientes

amiga cheirando rosa no decote da noiva na balada

Pode parecer bobo ou clichê, mas é de suma importância que você conheça seus clientes antes de planejar o storytelling do álbum deles. Vamos raciocinar: você pode contar de forma bem mais detalhada uma história que conhece de verdade.

Em um casamento, por exemplo, não falo apenas de saber a sequência em que as coisas aconteceram no dia do enlace, mas de conhecer detalhes da família e da história dos noivos. Se você conhece a história deles, ficará muito mais fácil identificar e dar destaque para os parentes mais importantes ou pra elementos de decoração que podem se relacionar com a história e os gostos dos noivos.

Sabe aquela prima que serviu de cupido? Ou aquele porta-guardanapos que a vovó costurou? Você só vai saber sobre eles se tirar um tempo pra conhecer e falar sobre isso com o casal (e vai ser lindo se der destaque pra esses elementos no álbum).

2 – Mostre os cenários

noivos dançando no mosteiro abandonado de pareci novo

Quando criamos uma narrativa, sempre é legal criarmos contexto e ambientarmos a história, para enriquecer sua compreensão. É por isso que os contos de fada geralmente começam com a estrutura de “Era uma vez… Em um lugar X…” (ou “Y”, ou “Z”).

Mostrar o local e os detalhes dele ajudam a “transportar” o espectador para dentro do álbum e fazem ele se imaginar na história. Por isso nunca deixe de colocar algumas imagens “mais abertas”, mostrando as locações e alguns detalhes delas.

Não precisam ser muitas imagens. Algumas poucas, bem posicionadas, já ajudarão a pontuar e localizar bem a história.

3 – Utilize sequências de fotos

sequencia da noiva jogando buque

Sabe aquela sequência super legal de fotos que você tirou na cerimônia ou na festa? Pode ser do momento em que a noiva chorou, ou da hora do beijo, ou, então, da hora em que voou o buquê. Enfim, escolha um desses bons momentos de ação, do qual você tem várias fotos legais, e monte-o como uma espécie de “tirinha” de história em quadrinhos.

Você pode utilizar duas ou três imagens (ou mais, porém com muito cuidado). Isso vai ajudar a dar um bom fluxo narrativo ao seu álbum e a destacar momentos de ação relevantes. Teste aí, pois sempre funciona.

4 – Comece pelo início e defina um bom final

noivos com luzes luzinhas de natal

Outro ponto aparentemente bobo, não é? Na verdade, não! 😀 Um grande erro que muitos fotógrafos acabam cometendo na hora de montar álbuns de casamento é começar a história sem um ponto de partida, já com fotos da cerimônia ou da festa, sem planejamento. Isso pode confundir o espectador e estragar a construção da narrativa.

Sim, existem formas não lineares de contar histórias, mas isso só funciona se for muito bem planejado e executado. E mesmo assim, muita gente ainda fica com uma sensação de estranhamento se a história contada não fizer um sentido lógico.

Prefira então definir onde sua história começa e ir mostrando os bons momentos que se seguem e que constroem uma narrativa coerente. Durante a jornada, dê destaque para fotos de momentos mais marcantes e vá avançando, até chegar em um ponto de encerramento. Quando chegar na última lâmina do álbum, defina a imagem que vai ser o “grand finale”, deixando uma impressão de história completa ou uma expectativa de que tudo seguirá bem.

Quase toda boa história se inicia em uma expectativa, se sustenta em atos e fatos e se encerra em uma reflexão, então pense bem nisso quando for distribuir suas fotos pelas páginas do álbum, pois elas construirão toda essa base.

Pronto! Seguindo esses passos, você contará uma história com narrativa incrível! Claro, você pode fazer algumas mudanças aqui e ali se desejar, mas sempre lembrando do conceito de storytelling: saber como contar uma história.

Gostou das dicas? Quer receber mais sacadas úteis sobre álbuns e fotografia em geral? Então deixe seu e-mail aí ao lado e assine nossa newsletter, pra ficar por dentro das nossas atualizações! E não deixe de comentar aqui no post, pois eu quero saber se você gostou e o que mais podemos fazer para ajudar.

PS: Se quiser saber mais sobre storytelling, ouça o Fotologia Podcast #60 (com o videomaker Joel Miranda), onde apresentamos novas abordagens sobre o tema.

Abração

6 Comentários


  1. Dicas maravilhosas, sou fotógrafo a 25 anos e a pouco mais de 4 meses venho acompanhando e aprendendo com suas dicas e essa de contar história dos álbuns foi matadora, obrigado aos irmãos Vanassi.

    Responder

    1. Valeu Lindomar! Ficamos felizes em ajudar. =)
      Siga acompanhando, pois vem muita coisa boa por aí.
      Abração

      Responder

  2. Coisa mais linda de se ver é um álbum bem pensado… Eu sempre fiz os meus por essa perspectiva e quero aprimorar cada vez mais… Obrigada por nos ajudar a pensar e melhorar ainda mais nosso trabalho Gustavo… um abraço. Déia.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *