Guia: 5 dicas para fazer um ensaio externo com sucesso!

Tempo de leitura: 7 minutos

Olá, fotógrafo! Hoje trago algumas dicas essenciais para você fazer um ensaio externo de sucesso. Fotografar modelos ao ar livre oferece muitas possibilidades criativas. Além do mais, é possível escolher um local que tenha um verdadeiro significado para os fotografados ou ainda um local que tenha alguma conexão diferenciada com você mesmo. Minha experiência como fotógrafo me provou que, muitas vezes, uma locação aonde o fotógrafo se sinta confortável em trabalhar pode ser uma arma secreta para a sua criatividade na hora de clicar.

Assim, fica mais fácil produzir um material personalizado e voltado para a história de vida dos modelos. Gostou da ideia? Então veja a seguir as 5 dicas que preparei para que você possa fazer um ensaio externo com perfeição e consiga evitar os problemas que costumam aparecer na hora de fotografar ao ar livre.

Como fazer um ensaio externo

1. Pense no horário no qual você vai marcar o ensaio externo

O ideal é fotografar antes das dez da manhã ou depois das quatro da tarde. Nesses horários, a luz é mais suave e, por isso, é mais “gentil” com os modelos. O sol do meio-dia, ao contrário, gera sombras duras demais e aumenta o contraste, o que ressalta imperfeições e não mostra uma gradação fluida dos tons. Pense também nas temidas sombras sob os olhos que dão um aspecto mórbido aos modelos. Fuja dessa bronca.

Imagine que alguns ensaios pode durar horas, você gostaria de ser exposto ao sol do meio dia no nosso país tropical? Tenho certeza que não, por isso tenha bom senso no momento de escolher o horário do ensaio porque em situações de calor extremo você pode “perder os modelos” com facilidade. Depois que a pessoa desidratou, cansou ou se queimou com o sol a naturalidade das fotos vai por água a baixo! Ou por sol a cima, hahahahhaha.

Agora, se a ideia é caprichar na iluminação, não se esqueça da famosa Golden Hour, ou ” hora de ouro”, em português, que são aqueles minutinhos que antecedem o nascer ou o pôr do sol. Nesse momento, a luz é meio alaranjada, o que confere cores incríveis à foto. Essa situação possibilita que você faça uso de alguma fonte de luz artificial preenchendo as sombras do modelo em posição de silhueta criando assim uma iluminação diferente e com “cara” de profissional.

2. Lembre-se de dirigir os modelos

Estudar a melhor maneira de posicionar seus modelos é essencial. Para não travar na hora do ensaio, planeje algumas possibilidades e faça uma relação de poses que tenham a ver com o perfil do cliente. Por isso, antes de colocar a mão na massa, não se esqueça de buscar referências.

Lembre que as pessoas esperam que você como profissional esteja no comando da situação e saiba como orientar a posição de braços, pernas, cabelo e tudo o mais. Não sabe como fazer isso? Então vai agora para o Youtube buscar dicas de direção de pessoas e, se possível, busque um treinamento para isso. Não existe como fazer um trabalho com aspecto efetivamente profissional sem uma direção bem elaborada.

Além do mais, conversar com o modelo também ajuda. Pergunte o que ele gosta de ressaltar nas fotos e tente adaptar essas ideias àquilo que você acredita ser o mais adequado. Saber direcionar quem está posando facilita seu trabalho, otimiza o tempo e transmite segurança e profissionalismo.

3. Estude o local do ensaio externo

Se possível, conheça o lugar do ensaio antes de encontrar com o modelo. Explore a região e pense nas possibilidades que o local oferece. Há também a possibilidade de pesquisar por outras produções já realizadas ali. Fazer isso deixa o processo mais dinâmico.

Pense sempre primeiro na luz, depois na composição em relação ao ambiente e finalize posicionando o modelo dentro do quadro. Essa é a minha metodologia para fazer fotografias externas mais acertadas e equilibradas. Lembre que você precisa de equilíbrio com relação ao modelo e o ambiente. Ambientes muito elaborados exigem direção do modelo mais simples e ambientes mais simples exigem uma direção mais elaborada e complexa.

Outra dica é buscar por imagens em locações parecidas. Vai fotografar em um parque ou em um hotel-fazenda? Ver muitas referências ajudam a entender o que é clássico costuma ser feito e, ao mesmo tempo, como você pode ser criativo. Por isso, lembre-se de planejar bastante antes de sair para fotografar. Lembre também que essas referências podem também te mostrar o que você não deve fazer! Isso mesmo, referências repetitivas e monótonas podem indicar o caminho para uma fotografia diferente e criativa.

4. Invista na produção

Maquiagem, cabelo e figurino fazem toda a diferença na hora de produzir imagens de qualidade. Dessa forma, tente encontrar bons profissionais que possam fazer uma parceria com você. A produtora de moda vai escolher o melhor figurino levando em consideração as características físicas do modelo e a proposta do ensaio. Vale também você fazer alguma especialização em moda, estilo e composição de looks para homens e mulheres uma vez que nem sempre o orçamento alcança para a contratação de uma profissional especializada.

Cabelo e maquiagem também precisam estar impecáveis. Isso facilita a pós-produção e garante um bom acabamento. Uma dica em relação à maquiagem, por exemplo, é carregar um pouquinho na quantidade de base para alcançar uma pele bem uniforme. Na fotografia, o resultado fica mais natural. Lembre que, especialmente em retratos, as linhas de expressão ficarão em evidência.

5. Avalie quais os equipamentos são indispensáveis

Faça um checklist dos equipamentos que pretende usar. Agora que você já sabe como é a locação, o tipo de ensaio que quer fazer e as características do modelo, é só pensar nos materiais que podem ajudá-lo a alcançar os melhores resultados, como a lente e outros acessórios.

Uma lente que costuma ser recomendada nesse tipo de ensaio é a 50 mm. Ela possibilita grandes aberturas do diafragma, o que faz com que você possa fotografar após o entardecer ou consiga fazer o famoso bokeh. Além disso, sempre vale a pena levar um rebatedor (nem que seja para fazer o famoso ventinho no cabelo da modelo). Como você já pensou na iluminação mais adequada para o ambiente vai a minha principal dica:

Coloque na mala somente o que você pretende usar de verdade. 

Carregar equipamento desnecessário pra la e pra cá, além de cansativo, é um tiro no pé quando se fala em processo criativo. Você precisa ajudar o seu cérebro a pensar de maneira simples, organizada e dinâmica. Ao diminuir as possibilidades você proporciona mais liberdade para que o seu potencial seja aproveitado em outros aspectos da fotografia como a iluminação e a direção. Sendo assim leve pilhas, flash, led, sombrinhas, carregadores e outras lentes somente se você vai usar, ok?

Tenho certeza de que lembrar-se de pensar na iluminação natural e em outros tópicos, como direção de modelos, produção, local e equipamentos, vai fazer toda a diferença na hora de montar um ensaio externo de sucesso. Depois de planejar esses detalhes, é só partir para a prática!

Quer conhecer outras dicas? Veja agora mesmo maneiras eficientes de fazer retratos melhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *