Quer divulgar seu trabalho? 8 dicas de portfólio de fotografia

Tempo de leitura: 6 minutos

Apresentar um portfólio de fotografia com qualidade é fundamental para valorizar o trabalho profissional, principalmente para os iniciantes, ou para quem está em busca de novas oportunidades nessa atividade.

A exemplo dos artistas visuais, designers e arquitetos, no ramo da fotografia, o portfólio é especialmente importante em função do seu caráter visual. O cliente precisa, literalmente, ver o que você produz, analisar a eficiência, o comprometimento, a estética, o talento, enfim, tudo o que pode ser captado por meio das imagens.

Pensando em tudo isso, elaboramos uma lista com 8 dicas para você criar um portfólio de fotografia impactante e atrair cada dia mais clientes.

1. Selecione os seus melhores trabalhos

Na hora de organizar o seu material, concentre-se nas fotos mais originais e bem produzidas. Escolha as que melhor representam o seu estilo, as que receberam mais elogios e, com certeza, as que apresentarem o melhor domínio da técnica fotográfica.

Procure manter um foco único em suas imagens, transmitindo coerência na mensagem por meio delas e descarte tudo o que não revela o melhor, que apenas ocupe espaço e distraia o espectador. Uma única boa foto é melhor que muitas medianas.

2. Organize cada projeto com poucas imagens

De acordo com o que já dissemos anteriormente, poucas e boas imagens são suficientes para mostrar um panorama do trabalho que você é capaz de desenvolver.

Assim, a quantidade ideal de imagens em um portfólio pode variar entre 15 e 30, dependendo do número de projetos. Mostre diferentes enquadramentos, detalhes, perspectivas, tonalidades diferenciadas para a mesma foto e outras possibilidades.

Para exemplificar melhor, podemos imaginar uma festa infantil: além das fotografias direcionadas para o aniversariante e os convidados, você pode mostrar detalhes da decoração, dos doces e do bolo em diversos ângulos e situações, criando uma variedade de possibilidades para o mesmo tema.

3. Escolha o objetivo de cada ensaio

Definir o objetivo do seu trabalho é essencial para que você construa as melhores chances de produzir algo que goste e domine. Por isso, é importante deixar claro qual é o seu estilo, que ensaios você produz com mais frequência, dando prioridade aos temas que estão entre as suas preferências.

Por exemplo: se você fotografou casamentos em algum momento da sua carreira, mas detestou fazer esse tipo de trabalho, jamais o divulgue. As pessoas que virem as suas fotos farão contato com você para pedir mais daquilo que está exposto no seu portfólio.

Portanto, seja coerente e benevolente consigo mesmo selecionando para expor apenas o trabalho que mais gosta de fazer. Assim, você aumenta as chances de continuar produzindo só o que te agrada.

4. Separe cada área de interesse

Sabendo quais são os nichos de maior interesse seu, é hora de organizar por temas. Nada de misturar todas as fotos no mesmo projeto, pois isso deixará tudo confuso, desconexo, além de tirar o impacto da qualidade de cada segmento distribuído aleatoriamente.

Cada assunto deve ter seu conjunto de imagens separadas em projetos diferentes. Alguns fotógrafos chegam a criar portfólios separados para cada segmento da fotografia, o que não é nada mal para quem reúne uma grande diversidade de interesses e versatilidade de estilos.

Para os fotógrafos que têm séria pretensão de seguir uma carreira profissional, é muito importante se colocar no lugar dos clientes. Se ele está em busca de fotos urbanas, por exemplo, ao abrir um portfólio para consulta, terá o impulso de ir diretamente ao projeto que importa naquele momento e isso facilita as coisas.

5. Mantenha uma linha de edição

Em cada projeto, é conveniente seguir uma linha de edição padronizada para demonstrar o estilo que foi usado naquele trabalho. Você não pode transmitir a impressão de indecisão e correr o risco de deixar o cliente inseguro para fechar um contrato.

Por isso, procure definir se as fotos ficarão mais claras, contrastantes, subexpostas, enfim, qual efeito é ideal para o projeto. Escolha uma linha e siga até o final, assim, quando a pessoa tiver interesse naquele tipo de fotografia, já sabe onde procurar e se mantém segura de que receberá aquele resultado.

O que você não pode fazer é finalizar um trabalho com contrastes fortes, quando o cliente espera algo com tonalidades claras. Essa é a importância de deixar bem claro qual é a linha de edição usada em determinado projeto, caso alguém faça essa opção.

6. Esqueça as fotos amadoras

Sabe aquelas fotos emotivas de alguns mimos que você viu durante os seus passeios e do lazer de fim de semana? Uma bela flor, o pôr do sol, a saída com amigos, o cachorro fazendo gracinhas e outras como essas, reserve para as suas redes sociais pessoais e nem pense em incluir no portfólio.

Por mais encantadoras que sejam, esse tipo de foto não deve ser incluído entre as profissionais apenas para preencher um vazio. Em relação ao conteúdo retratado, o trabalho profissional deve ser coerente e impessoal, além de falar a mesma língua que o restante das fotos.

7. Defina os formatos para apresentação

Com todo o seu material em mãos, você necessariamente precisará apresentá-lo e, para isso, existem os formatos digital e impresso. Pelo meio digital, é possível manter um site ou blog na internet, o que facilita a consulta pelas pessoas interessadas no seu trabalho.

Atualmente, o que não falta na web são templates dos mais variados para esse fim, sendo alguns especialmente desenvolvidos para fotógrafos. Se você ainda não tem o seu, é conveniente considerar essa opção e começar a fazer um já.

No entanto, não se limite apenas à alternativa digital. O ideal é manter, também, um portfólio impresso para que as pessoas possam conferir o resultado das fotos também nesse formato.

Tenha em mente que o principal objetivo de quem contrata um serviço especializado em fotografia é produzir fotos impressas para colecionar em álbuns, porta-retratos, quadros na parede, enfim, para expor e não apenas arquivar em um dispositivo.

8. Monte um portfólio clean

Organizar um portfólio limpo, delicado e visível é a melhor maneira de apresentar o conteúdo do seu trabalho fotográfico, acredite. Além de manter as suas fotos alinhadas com o seu estilo e com os temas explorados, quando todo o material estiver reunido em um álbum ou exposto em um site, é mais sensato escolher fundos neutros.

Da mesma forma, opte por áreas de respiro no design do conjunto. Não é aconselhável dispor fotos sobrepostas, tortas, desalinhadas, com opacidade no fundo ou ícones por cima e outros elementos que só servem para poluir e confundir.

Lembre-se de que o cliente deseja ver apenas o conteúdo das fotos; portanto, elas devem falar por si, não existe a menor necessidade de incrementar com artifícios. Um fundo neutro com área de respiro é o suficiente para mostrar todo o talento que você é capaz de ter.

Montar um portfólio de fotografia pode ser trabalhoso, sim, exige paciência, cautela e dedicação, mas para quem ama essa arte, também é uma tarefa prazerosa e estimulante. Reserve um tempo especialmente para isso e a sua realização certamente chegará.

Se você é um amante da fotografia ou já trabalha com a área, gostará de ler os nossos posts. Assine nossa newsletter e veja mais conteúdos como este!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *