Como tirar fotos em movimento sem perder a qualidade?

Tempo de leitura: 6 minutos

Em situações de ação e movimento, as oportunidades para fazer fotos incríveis são grandes. Mas para alcançar os resultados desejados é preciso muita atenção e técnica. Eu sei que ouvir isso pode parecer assustador, mas tirar foto em movimento é mais fácil do que parece.

É preciso conhecer bem alguns fatores essenciais: o que determina a nitidez e a exposição de uma imagem, além de ter domínio sobre as capacidades da sua câmera.

As vantagens e limitações do equipamento determinam muito o que você pode fazer e o que precisa ter em mente, antes mesmo de sair para fotografar.

Neste artigo vou falar mais sobre isso, além de apresentar dicas e técnicas selecionadas para lhe ajudar a ter sucesso na hora de capturar movimento. Vamos lá?

Velocidade do obturador

O obturador é a principal ferramenta que você deverá utilizar na hora de tirar foto em movimento. Esse mecanismo controla o tempo em que sensor ficará exposto à luz.

Velocidades altas congelam movimento, enquanto as baixas criam borrões. Para determinar o valor do obturador é preciso decidir que efeito você quer alcançar com uma foto.

Os exemplos abaixo servem como uma regra geral, mas os valores podem ser diferentes, dependendo da situação e da quantidade de luz disponível:

  • velocidades de 1/50 e abaixo são lentas. Podem ser usadas para criar efeitos artísticos, como rastro de farol de carro ou efeitos de véu na água. São usadas também para fazer panning;
  • velocidades entre 1/50 e 1/125 são normais ou médias. São para fotos mais comuns, de pessoas posando, objetos, etc. Em geral, dispensam o uso de tripé;
  • velocidades acima de 1/126 são altas, e acima de 1/1000 são altíssimas. Elas permitem congelar movimentos muito rápidos com bastante nitidez. Essas velocidades podem congelar desde o salto de uma criança até o bater de asas de um beija-flor.

É preciso lembrar também que, em conjunto com o obturador, o ISO e o diafragma formam o triângulo da exposição. É preciso encontrar um equilíbrio entre os três para que a foto fique como você deseja.

Um ISO muito alto pode prejudicar a qualidade da imagem e a abertura do diafragma determina a profundidade de campo, ou seja, quanto da foto estará em foco. Ao escolher uma lente, pense nesses fatores, já que lentes claras (de abertura maior) permitem maior liberdade sobre a exposição.

Panning

O panning é uma das principais técnicas de tirar foto em movimento. Ela combina nitidez e borrões para criar efeitos muito interessantes.

O panning clássico é aquele no qual o fundo ficou borrado, mas o personagem central ficou nítido. Essa técnica é legal porque cria uma foto dinâmica, que passa a impressão de velocidade.

Para fazer uma foto em panning, você precisa movimentar a câmera junto com o sujeito fotografado. Experimente diferentes velocidades até achar a ideal, mas, geralmente, ela fica entre 1/6 e 1/50.

Uma boa situação para explorar o panning é em corridas de bicicleta: escolha um atleta para ser o sujeito da foto e siga as dicas abaixo.

Deixando o foco no automático, acompanhe o sujeito com a câmera, tentando manter uma velocidade equivalente (quanto mais distante você estiver do objeto, mais lento será o seu movimento) e faça vários disparos enquanto isso. E se prepare: você vai tirar muitas fotos, mas nem todas ficarão boas.

Faz parte do panning (e da vida de fotógrafo), só não vale desistir. A foto perfeita vai aparecer entre as várias tentativas.

Imagem congelada

Ao contrário do panning, essa técnica exige velocidade de obturador alta ou altíssima. Com ela, é possível congelar gotas d’água, alguém saltando, um objeto sendo lançado, enfim, capturar o segundo exato da ação.

A teoria dessa técnica é bem simples, basta aumentar velocidade do obturador. Mas o segredo dela está em clicar no momento exato, além de conseguir manter a exposição correta.

Para ajudar com a exposição, você pode aproveitar as vantagens do seu equipamento.

O Modo Esporte é um coringa para quem usa câmeras compactas, mas nas semiprofissionais pode ajudar quem está começando a experimentar na fotografia em movimento, ou nas situações em que não há tempo para definir todas as configurações manualmente.

Nesse modo, a câmera configura internamente o ISO, o diafragma e o obturador, privilegiando a velocidade.

O modo semimanual de prioridade de velocidade (TV ou S), é outra boa ferramenta nas câmeras mais avançadas. Com ele, você pode determinar a velocidade do obturador e a câmera controla o resto, garantindo a exposição correta.

Sobre achar o momento certo, a não ser que você esteja fazendo fotos em estúdio, congelar imagens vai exigir muita rapidez e você, provavelmente, terá de se mover bastante.

Tirar foto em movimento em um evento esportivo, por exemplo, significa acompanhar os principais atletas e saber onde e quando os momentos de maior impacto ocorrem.

Como jogos e competições podem ser imprevisíveis, prepare-se com antecedência para ter mais chances de estar no lugar certo na hora certa.

Equipamentos úteis

Tirar foto em movimento significa também ir além do básico. Vale a pena investir em certos equipamentos para caprichar de verdade.

Um tripé de cabeça móvel ou monopé são essenciais para o panning, pois permite que as linhas do movimento fiquem retas. Afinal, mesmo que a intenção seja o desfoque do fundo, se tudo estiver tremido, a foto não vai ficar boa.

O flash também é uma ferramenta excelente, especialmente para fotos de festas, baladas ou fotos noturnas.

O flash que vem embutido na câmera gera uma luz muito dura, de baixo alcance, que não permite tanto controle. Investir num flash auxiliar permite não apenas fotos com aparência mais profissional, mas também efeitos únicos e criativos.

Um exemplo disso é a combinação de flash e light painting em baladas. Coloque o obturador numa velocidade mais baixa e ative o modo Rear no flash, para que ele brilhe apenas no final da exposição.

Após clicar, movimente a câmera e foque em alguém apenas no último instante, disparando flash nela. Dessa forma, as luzes ambientes fazem light painting, mas você congela as pessoas.

Além das situações já mencionadas, existem muitos outros momentos nos quais é possível usar o movimento a seu favor. Você pode se especializar em fotografias de esporte ou explorar a fotografia lifestyle, e fazer fotos de crianças brincando, cachorros correndo ou alguma outra situação descontraída.

O importante é decidir o que você quer e aprender a técnica certa para cada situação. Tirar foto em movimento é um campo amplo e muito divertido, basta experimentar!

Gostou deste artigo? Agora que você já sabe mais sobre fotografia em movimento, aproveite e confira também como ter sucesso ao fotografar festas de 15 anos e profissionalize ainda mais seu trabalho como fotógrafo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *