O que você precisa saber para fazer um ensaio pin-up

Tempo de leitura: 6 minutos

Quem, assim como eu, é fã de fotos femininas cheias de estilo, não pode deixar de experimentar um ensaio pin-up.

Essa estética retrô está fazendo a cabeça de uma geração de meninas desinibidas e conquistando espaço em editoriais de moda e publicidade (sem contar alguns ensaios mais “quentes”, por assim dizer).

O bacana desse tipo de sessão fotográfica é que há muita produção envolvida. É preciso capricho no figurino e na maquiagem, além de variados itens de cena, para emular o clima vintage que o ensaio pin-up exige.

Sem contar a dose certa de sensualidade que o trabalho pede sem, contudo, descambar para a vulgaridade.

Se ficou interessado pela proposta mas não está muito seguro do que isso significa, relaxe. É só continuar firme que direi tudo o que você precisa saber para fazer um belo ensaio pin-up. Acompanhe!

Como assim, “pin-up”?

A estética pin-up é um dos mais duradouros signos da cultura pop.

A origem do termo (pin-up significa “pendurar”) está relacionada com a 2ª Guerra Mundial, quando os soldados norte-americanos que combatiam na Europa e no Pacífico criaram o hábito de decorar seus alojamentos com pôsteres de beldades para, assim, aliviar um pouco da tensão do conflito.

De certa forma precursores dos nossos saudosos calendários de borracharia, esses cartazes traziam imagens de mulheres voluptuosas realizando tarefas do cotidiano, numa mistura de sensualidade e inocência que deixava a rapaziada doidinha.

Por trás dessas obras estavam artistas como o peruano Alberto Vargas e o norte-americano Gil Elvgren, que criavam suas pinturas tendo por modelo algumas das mulheres mais belas da época (estamos falando das décadas de 1940 e 1950).

Marilyn Monroe, antes de chegar ao estrelato, emprestou suas curvas para esses mestres, assim como Bettie Page, a mais celebrada das pin-ups.

No período do pós-guerra, fotografias de divas de Hollywood mantiveram o fascínio das “mulheres de pendurar” (quem não se lembra do protagonista do filme “Um Sonho de Liberdade” pedindo que Red lhe conseguisse uma Rita Hayworth?) e a prática chegou às revistas de moda e à publicidade (as famosas artes da Coca-Cola são um exemplo).

Como é o estilo pin-up atual?

A recente moda retrô trouxe uma nova onda de interesse pelo pin-up, que foi abraçado por celebridades como a cantora Katy Perry, que em mais de uma capa de disco incorporou o estilo.

No entanto, foram personalidades como a artista burlesca Dita Von Teese quem apontaram o caminho para as modernas pin-ups, que dispensaram a ingenuidade dos anos dourados e acrescentaram uma boa dose de atitude à fórmula, com muita tatuagem e ousadia.

Apesar dessa pegada mais alternativa, a essência se mantém no uso da lingerie, nos penteados armados, na maquiagem impecável e na sensualidade soft. Além disso, há variações que refletem o gosto de cada adepta da moda, o que faz com que o ensaio fotográfico pin-up tenha mais de um subtema. Alguns deles são:

  • Cheesecake: estilo clássico, o cheesecake remete aos melhores trabalhos de Elvgren e capricha na delicadeza e plasticidade das imagens;
  • Burlesca: um pouco mais provocante, esse estilo evoca um clima de cabaré, com um leve toque vitoriano;
  • Classic Hollywood: como o nome já entrega, a ideia é recriar o glamour das divas do cinema;
  • Rockabilly ou Psychobilly: os topetes e elementos que caracterizam o rock dos anos 1950 são o forte do estilo rockabilly, enquanto sua versão “psycho” é um pouco mais extravagante, com muita tattoo e maquiagem pesada;
  • Tiki: um pin-up havaiano, no melhor estilo dos filmes de Elvis;
  • Dark: vestidos com corset, sapatos boneca e cabelos coloridos dão o tom das pin-ups dark, cujo principal ícone é a bruxa cinematográfica Elvira;

E ainda temos pin-ups plus size, afro, orientais, cowgirls, do tipo zumbi, militares, marinheiras e aviadoras. Ou seja, dá para elaborar ensaios criativos de montão.

E como eu faço um ensaio pin-up?

Como você pode ver, a produção é o que manda num ensaio pin-up. O trabalho de cenografia é muito importante, pois a inclusão de objetos como utensílios domésticos antigos, revistas de época e acessórios retrô dará mais autenticidade à sessão.

Alguns itens interessantes:

  • Telefone: modelos antigos são muito usados em fotos pin-up, nas poses em que a garota parece receber uma notícia inesperada;
  • Milkshake: nada mais retrô do que um milkshake, certo? É um item perfeito para fotos mais “cheesecake”;
  • Guarda-chuva: uma sombrinha no estilo oriental é um ótimo acessório, tanto para criar um clima praiano quanto simplesmente cobrir o corpo da modelo, oferecendo uma sugestão de sensualidade;
  • Vitrola: outro item vintage por excelência, vitrola e discos sempre rendem poses legais;
  • Coca-Cola: que tal recriar algumas das imagens icônicas desse refrigerante?

Bolas de praia, óculos de sol, bicicletas e instrumentos musicais das antigas são outros elementos marcantes. Qualquer coisa com cheiro de “velho” dá um bom objeto de cena.

Figurino e cenários

Como já disse, é preciso esmero no figurino, que deve estar de acordo com o tema escolhido.

De modo geral, peças inspiradas nos anos 1950 são perfeitas para ensaios desse tipo: saias estampadas e vestidos godê, macaquitos, camisas de botões e shorts de cintura alta. E não esqueça as cintas-ligas, as meias 3/8, os lenços, os penteados armados e a maquiagem característica.

Por conta disso, ter o apoio de uma equipe de produção é a melhor forma de preparar um bom ambiente para o ensaio pin-up. Vale a pena também conferir o trabalho de artistas clássicos do estilo (os já citados Elvgren e Vargas, entre outros, além de fotógrafos que se dedicam a esse filão) para obter boas referências.

Destaco também que antiquários, oficinas, carros antigos e bares temáticos dão belos cenários para ensaios pin-up.

Poses

Para a sessão de fotos em si, o ideal é seguir o catálogo de poses típicas da pin-up art (a dica sobre pesquisar referências vale aqui também). Isso quer dizer: muitas caras e bocas, rostinhos angelicais, beijinhos, piscadelas, continências e a famosa “banana” (do clássico cartaz “We Can Do It!”).

A sensualidade, quando o ensaio pedir, deve ser cuidadosamente dosada, sempre no sentido da sugestão, jamais carregando no erotismo. Lembre-se: o ensaio pin-up é algo mais glamoroso, romântico e até mesmo inocente, com apenas uma pitadinha de pimenta.

De resto, estabeleça uma relação de confiança e profissionalismo com sua modelo. Faça com que ela se sinta relaxada e vá começando com as poses mais simples (de pé), passando às mais elaboradas e um pouco mais sensuais (poses sentadas e deitadas, de pernas para o ar etc.). Tenha especial cuidado com a postura da pin-up, de modo valorizar suas curvas e obter retratos mais harmoniosos.

Sobretudo, divirtam-se!

Afinal, o ensaio pin-up é um grande barato.

Gostou das dicas de hoje? Então, deixe eu lhe fazer outro convite: que tal ler este post sobre como montar o álbum fotográfico perfeito? Assim, quando você for editar as fotos do ensaio, vai saber exatamente como organizá-las num produto especial. Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *